quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Raiva mal direcionada dá nisso, beijos!

Aqui estou eu, mais uma vez, mais indignada do que nunca. Vou explicar o motivo da minha raiva: absolutamente tudo. Estou com raiva das ruas e das pessoas que andam nelas. Estou com raiva dos atendentes de banco que ligam pra minha casa oferecendo cartões de crédito. Estou com raiva das propagandas de supermercado. Sabem por quê? Porque nada disso adianta.
Eu estava na aula de Religião na escola, e a professora começou a contar sobre um acontecimento trágico no ano passado. Ela programou uma visita ao orfanato, como geralmente fazemos... E dessa vez decidiu levar gente mais nova com ela. Eis que uma menina que não bate na minha cintura disse que não ia, porque não queria ficar no meio de pobre.
Quando a professora contou isso, um idiota lá atrás riu. ELE RIU. Se essa menina fosse minha filha, as coisas seriam MUITO diferentes. Por um simples motivo: ÉTICA.
Meu professor de Sociologia disse uma coisa que é a pura verdade: todo ser humano é bom e é ruim, o que diferencia um do outro é a ética. Os que tem ética saberão parar quando perceberem que estão machucando alguém. Os que não tem, pisarão no outro e serão capazes de nem perceber.
Sabe qual é o meu problema? Eu não me encaixo nesse lixo todo. Há um tempo atrás, eu pensava que havia nascido na época errada: eu tinha que ter nascido antigamente, quando as coisas eram lindas e as pessoas andavam de carruagem. Mas não daria certo, porque aí a primeira mulher brasileira a ousar colocar uma calça jeans não seria Chiquinha Gonzaga, e sim Amanda Lazaroni. Eu mancharia o nome da minha família, protestaria nas ruas por mais liberdade... E acabaria presa e rejeitada. Porque eu nunca estou satisfeita. Eu não consigo acordar de manhã e passar maquiagem até a alma pra ir à escola. Eu não consigo aparecer em um ambiente público com um decote que vai até o meu útero. Eu não sei ser sexy. Eu não sei me jogar pra cima de um menino. Eu não faço tipo e não gosto de gente mesquinha. São essas pessoas que são conhecidas como "maravilhosas" por todos é que me pedirão esmola na rua. Quando chover, a maquiagem delas vai escorrer, e o meu rosto vai ficar intacto e permanentemente estampado com um sorriso cruel. Eu sei ser cruel, apesar de não deixar essa parte me dominar. Quando eu for uma jornalista, eu não vou aceitar que me paguem para não colocar alguma notícia nas minhas colunas, porque se for verdade, eu vou colocar. Não vou puxar o saco do chefe pra ser promovida, ele vai me dar isso de livre e espontânea vontade pelo meu esforço e pelo meu talento, e não porque eu cheguei ao escritório dele com uma bolsa cara e oferecendo o meu corpo. Eu também não vou ser santa e vou brigar com muita gente, me acharão antipática e esnobe. Eu não sou sempre boazinha, apesar de ter cara de babaca. Eu grito com as pessoas, eu xingo e às vezes eu quero simplesmente sumir e gritar WE DON'T CARE! Ligar McFLY no volume mais alto e empurrar pela janela o primeiro que aparecer pra me dizer "bom-dia".
E este será apenas o escudo de uma pessoa que não se encaixa no mundo em que vive e não pode fazer nada quanto a isso. A não ser isso que eu estou fazendo agora: mostrar as minhas idéias publicamente, estando sujeita a críticas e elogios. O problema de todo mundo é o comodismo: viver em uma bolha e achar que será assim para sempre. Eu queria que essa menina que falou aquela atrocidade tivesse apenas um dia de trabalho duro, que valesse de lição para toda a sua vida. Eu queria que a mãe dela usasse esse dinheiro que ela joga na lareira pra aumentar o fogo para levar essa menina à África. Eu queria que as pessoas se importassem menos com a balança, e se importassem mais com o peso da sua consciência. Essa sim, precisa fazer uma dieta.
Mas eu não sou tão pessimista quanto vocês estão pensando: o mundo onde eu vivo tem muitas coisas boas. Eu disse que não me encaixava direito, mas existe um lugar onde eu me encaixo: com os meus amigos e com as pessoas que eu amo. As que estão perto e as que estão longe, especialmente duas que estão viajando no momento e que fazem muita falta.
Sabem o que realmente vale a pena na vida? Abraçar mais, estar mais perto, brindar ao acaso. Saber curtir tudo e saber definir o que é temporário e o que é para sempre. Certos "para sempres" não acabam, eu discordo terminantemente de quem diz que acabam. SIM, eu tenho provas disso em minha vida. A distância não acaba com nada, a não ser que a pessoa seja fraca.
Ui, respirei. Desculpem-me por esse sermão todo, eu estou realmente triste hoje.

Sabem de uma coisa? Talvez eu dê à "maravilhosa" da esquina alguns trocados quando ela me pedir.

5 freckledmaníacos.:

Caamila ;D disse...

concordo plenamente!

hoje mesmo, na escola, teve festa de carnaval.
minha escola é católica e, por mais bizarro e conservador (?) que pareça: sim, a direto é uma freira.
quando colocaram as famosas marchinhas de carnaval para tocar nenhum cidadão se levantou. mas quando começou a tocar o créu, noossa.. não dava nem mais para andar!
como assim cara? carnaval não é baile funk, como minha ´professora de biologia falou! além da letra horrível as meninas dançavam que nem umas depravadas e os meninos se aproveitavam disso! ai quando novamente trocaram o estilo musical, a galera sentou novamente.

as pessoas estão perdendo a essência das coisas e ligando apenas para o que, supostamente, é legal, bonito etc
sem realmente se importarem com o que, de fato, é legal, bonito e etc.
e dps ainda falam que gostam de carnaval.. mas ao meu ver gostam é de baile funk!

sei que o exemplo que eu dei não tem nada a ver e esse comentário vai ficar gigaaaante, mas acho que dá pra passar o que eu quis dizer com a hipocrisia do povo!
SHAUSHAUSHUAHUHSUAHU

xxx

Maah ~ disse...

É bem assim que as coisas no mundo são, infelizmente. Tá, comentariozinho básico sobre meu stress hoje: sabe porque aquele menino que eu fiz a declaração de amor enorme aqui no blog não fala comigo e finge que nada aconteceu? Porque ele diz que quer Uma garota mais burra que ele, para que ele possa ensiná-la, e uma com que ele aprenda algo. Okay, depois dessa ignorancia toda eu desencantei dele, totalmente. Agora, só quero do principe Harry da Inglaterra pra cima.

Yeah, comentário nada a ver, mas já que estou na sessão desabafo resolvi aproveitar. HUSHUDHSUHDUSAHDUHSA

BEEEJO ;*

Maah ~ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Judy disse...

concordo mesmo, você disse tudo que eu queria dizer na cara de certos alguéns nesse post.

beeijos :*

Anônimo disse...

Nossa, que mina escrota ¬¬

eu concordo com TUDO que você disse.
sem mais, vc ja disse tudo por mim :)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin