quinta-feira, 18 de junho de 2009

O Sonho Que Nunca Deixei de Sonhar

Antes de começar este post, só gostaria de deixar bem claro que o fato de eu falar ou não debochadamente dos Jonas Brothers no post anterior não me faz melhor nem pior. Recebi várias indiretas nada agradáveis via Twitter de pessoas que sempre gostaram dos meus posts... Meu jeito de postar não mudou, só mudei as personagens, oras, como sempre faço! Agora as pessoas vão parar de gostar dos meus posts por uma questão de expressão? Enfim, façam o que vocês quiserem, eu escrevo para me divertir, fico feliz em compartilhar, mas então que eu compartilhe com quem sabe brincar e é digno de descer pro play! Comecemos!




Antes de vocês pensarem que eu retirei o nome do post de alguma música Gospel, não, eu não tirei... Foi simplesmente um nome que realmente condiz com o que eu realmente quero postar. E não sei, estou com tanta vontade de comer chocolate em pó (sim!) que não sei o que estou fazendo aqui nesse computador, mas, sei lá, eu estou com vontade de vomitar palavras, e quero que saibam que esse é o terceiro texto que eu escrevo hoje. O primeiro foi uma resenha sobre "A Crise da Sociedade Do Trabalho", algo tãão interessante de se fazer que eu não desejo pra ninguém. O segundo foi para a minha futura coluna no James Bourne Brasil! Sim, a Dóri está très chic agora. Aliás, nem tanto AGORA, porque antes do Freckled eu já escrevia para um site, o Danny Jones Brasil, e foi de lá que surgiu a ideia de criar o Freckled e, enfim, cá estamos.
Mas é justamente sobre isso que eu vou falar. Esse negócio de escrever.
Para mim, escrever é na folha, com caneta Bic. É muito mais inspirador, porque eu me sento em qualquer lugar, deixo a minha mão correr livre pelo papel, rabisco, mas não apago, para sempre me lembrar do que escrevi. A Bic é importante porque nos momentos de tensão ou no máximo da criação, ela vai se destruindo lentamente com as minhas mordidas... Pode parecer nojento, mas, para mim, é terapêutico... E ressalto que essa é uma das minhas manias menos estranhas, cuidado!
Mas então... A verdade é que eu sempre quis escrever um livro, publicar e etc. Nunca consegui terminar um. Estou começando um novo no momento, mas provavelmente, não irei terminar também. Acho que só conseguirei terminar quando a ideia for realmente muito brilhante, o que vai ser bom, porque eu terei então um best seller, talvez. Mas, enfim, eu sempre tive essa vontade. Desde quando eu tinha uns 10 anos.
Quando eu tinha 10 anos, descobri que eu tinha talento para as histórias de amor dramáticas escrevendo "O Aniversário de Ringo" juntamente da minha coleguinha de sala Aline. Ela não aceitava que o nome da criança fosse Ringo, dizia que era nome de cachorro, mas eu e todos vocês (espero!) sabemos que Ringo é muito mais do que isso. Ficou Ringo mesmo. O Ringo era apaixonado por uma menininha chamada Carolina, e esperava que ela fosse em seu aniversário. Ela realmente foi, mas não levou presente, o que deixou o Ringo muito decepcionado. Logo, o Ringo se trancou no quarto e não participou da própria festa de aniversário.
Aos 11 anos, eu tive a audácia de ler um projetinho de livro para toda a minha sala da quinta série, estimulada pela minha então professora de Português... Não sei se o pessoal gostou, mas a professora dizia para eu continuar, porque a gente podia enviar para uma editora... Enfim, não continuei, mas duzentos começos de livros vieram depois.
Aos 14 anos, me tornei aficcionada por Bernardo, tomada por uma fase difícil e melancólica. Bernardo é o homem perfeito, é a mistura de todos os caras que eu quis e não pude ter. Ele já mudou várias vezes de personalidade, de estética, mas existe uma verdade universal sobre ele: Ele usa óculos de grau.
E ainda amo Bernardo. Amo escrever histórias de Bernardo e não consigo pensar em outro nome para algum personagem principal masculino, parece que a história não flui... Assim como Bernardo sempre tem de ter uma Susana em sua vida... Algumas pessoas sempre leem as histórias de Bernardo, se bem que eu estou com uma cambada de histórias novas que faltam ser digitadas... Continhos rápidos, sabe? Tinha até feito um blog para publicar esses textos, mas às vezes tenho medo de publicar Bernardo na internet. Tenho medo de plágio.
Cada coisa que eu escrevo é como um filho. E não tenho problema algum para escrever: Os meus piores textos sempre recebem elogios. E eu escrevo sem pensar, sem regras, me preocupando em somente passar um quem-sou-eu através de diversos assuntos.
E acho que é por isso que as pessoas deveriam respeitar todos os posts, mesmo que não gostem. Afinal, sou eu ali. As minhas mãos digitam, o meu cérebro se desliga e eu mando ver!
(Aliás, o meu sonho é escrever todos os posts do Freckled à mão para que saiam perfeitos, mas não tenho tanto tempo assim ._.)

O que você já escreveu hoje?











P.S.: Sobre a foto... Sou eu com um outro sonho que nunca deixei de sonhar!

4 freckledmaníacos.:

Camila disse...

Sabe, de um tempo pra cá eu andei pegando um certo gosto para a escrita.
Desde a metade do ano passado pra ser mais exata, é terapêutico...
mas tenho vergonha de mostrar certos textos para certas pessoas e blá blá blá
Meu professor de redação desse ano gosta bastante dos meus textos que escrevo como atividade ou prova da escola. Isso é gratificante :)
Eu fiquei tão feliz quando recebi a nota da minha prova desse bimestre. Eu realmente não tinha gostado da minha redação, achei que ia muito mal, mas eu tirei um nove; dois décimos a menos que no bimestre passado mais ainda sim é bom, foi a maior nota da classe.
E fiquei mais feliz ainda quando ele me disse que ficou muito boa a minha redação e não entendia porquê eu não havia gostado.

enfim...quem sabe um dia eu não publique meus textos...?

xx

Maah ~ disse...

É, eu também sempre penso em escrever um livro, mas minhas idéias não andam muito originais. Eu até tenho uma idéia bem diferente, mas acho que eu não tenho competência, ainda, para escrevê-la. Eu tenho talento pra escrever textos pequenos, mais crônicas e contos... Uma história longa eu sempre perco a paciência. HAUSDHDSAUDUSA

Anônimo disse...

E tenho varias histórias...mas só na cabeça, eu não sei escrever direito, me embolo na hora de organizar as idéias :/

e eu queria ver uma história de Bernardo *-*

Christian Camilo disse...

ótima crônica tb!
gostei muito..ja sou seu fã
muito bom!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin