quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Não precisa ser gênio...


...nem louco para saber que a nova minissérie da Globo, Capitu, superou as expectativas dos amantes e não amantes de Machado de Assis.
Ok, fugirei do teor Freckled totalmente hoje. Mas eu preciso disso... Afinal, o que vemos hoje em dia? Nós ficamos na frente da TV, nós jantamos na frente da TV, sempre na esperança de que passe algo que realmente valha a pena, e nós nos prendemos à infinitos programas (quem me acompanha sabe que eu sou devota da novela A Favorita), mesmo que eles não acrescentem nada de cultural à nossa vida...
Então por que não deixar um pouco de cultura entrar em você, através da televisão? É tão fácil quanto aceitar o Fenômeno McFly. Mesmo que você não entenda, faça um esforço. Você vai conseguir... A microssérie não tem uma linguagem tão difícil... Vamos lá, não somos semi-analfabetos, escrevemos e lemos blogs!

E que não se incomodem com devaneios, todos nós devemos tê-los em algum momento. Sobre qualquer coisa. Às vezes, neles, chegamos a acreditar que o nosso pensamento é Universal. Somos gênios! Afinal, quem são os gênios se não são os das grandes idéias? O problema é que nem todos os gênios são reconhecidos. Às vezes, falsos gênios podem transformar facilmente o lixo em ouro, como um alquimista, devido ao seu grande poder de persuasão. Ou de magia. Não sabemos ao certo.
Machado de Assis era um gênio. E eu tiro o chapéu também para Luiz Fernando Carvalho, o diretor da microssérie. Afinal, ele foi um fracasso em A Pedra do Reino, e a Globo só lhe deu 1 milhão de reais para trabalhar com Capitu. Pra nós pode parecer muito, afinal, eu não tenho esse dinheiro no bolso, e você? Mas para uma produção é muito pouco. Sorte que ele soube aproveitar muito bem dos elementos do livro, tomando como inspiração principal o fato de que A Vida é Uma Ópera, afirmação contida no livro que pode fazer qualquer um que esteja lendo-o obrigado parar de ler o livro por falta de vontade de entender. Repito: Não parem na ópera!
Os elementos modernos. Tatuagem, trilha sonora, câmera digital... Não sei descrever ao certo, mas eu acho que eles foram essenciais para prender aqueles que não leram o livro à televisão... Chamam a atenção, é algo diferente.
Tenho que ir, estou com pressa.
Mas quero todo mundo ligando as TVs essa noite, hein?

9 freckledmaníacos.:

Caio Mattos disse...

Belo post colega blogueira!
Como disse no meu e vc leu, nao falta qualidade na TV brasileira, falta vontade de fazer TV brasileira de qualidade!

Beijos

Liih disse...

Realmente, valeu muuito apena assistir. Ficou incriiivel *-*
Beijones!

Talita S. disse...

Pois eu ando muuito longe da tv :T

;*

Amanda disse...

Eu achei incrivel a microsérie *--*

E o bom é que você nem precisa ler o livro, é só assistir :D
HSAUSHAUSHUA /brinks182

'Luanna. disse...

APOIADA! \o/ apoiada demais! eu assisti a minissérie achando que ia ser outra 'viagem na maionese' que nem A Pedra do Reino, mas me apaixonei. Pela história, pelos personagens, e pela trilha sonora que é DEMAIS! peloamordedeus, preciso daquela musiquinha que toca enquanto ela tá riscando o chão com giz no começo *-* e agora é que eu vou ler mesmo Machado :)

Jubs. disse...

É, eu achei realmente "chique" a minissérie. Ficou diferente, mas totalmente interessante.
Beijones;

Thádia disse...

essa série foi uma idéia mto legal pq faz com que nós, jovens, nos interessemos mais pela literatura brasileira.
Adoro Machado de Assis, e essa história é mto envolvente.

Maah ~ disse...

Eu axei muito surreal. Não gostei e ponto :x
A história já é complicada pra chuchu e o cara complica ainda mais!

Mas é só minha humilde opinião.

Bgs ;*

disse...

a cena de Capitu e Bentinho no quintal, se movimentando pelo chão com giz... deleite visual, coisa mais bonita que eu já vi na TV aberta.

pena que não consegui acompanhar a série toda, tomara que não demore a sair em dvd!

e elephant gun virou vício auditivo *-*

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin