sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Todos Acham Que Eu Falo Demais

Era uma vez uma menina que roubava livros. Seu nome não era Liesel.
Ela não é uma personagem literária.
Isso porque ninguém a conheceu direito ainda.
Porque ela tinha sonhos. Mesmo que ninguém realmente se importasse com esses sonhos. Talvez porque ela nunca soube se expressar direito sobre eles, ou talvez porque eles fossem impossíveis, ou talvez porque fosse tarde demais para sonhar.
Você acredita em destino pré-determinado?
Deus.
Algo que você acredita pra se reerguer sempre. Ele existe? Sim. Mas ele não é alguém de verdade. Ele está fora destes problemas mundanos. Mesmo que ele seja fruto das mentes humanas, ele é digno de crença, afinal, dá algum sentido à nossa vida.
Então, todas as noites, ela pedia alguma orientação à Deus. Ela pedia para ser reconhecida. Para ser compreendida. Para ser amada, mesmo que nos instantes de um abraço ou um beijo insignificante.
Ela sabia que era melhor do que várias pessoas que pensavam ter encontrado a felicidade plena. Ela sabia, também, que a tal felicidade plena não podia ser conquistada sem esforço.
Mas o esforço dói. Machuca.
Então ela resolveu viver a vida de outras, enquanto esperava que algo de bom aconteceu em sua vida.
Ela foi Helena, de Machado de Assis. O primeiro livro que ela roubou, de muitos outros. Se você tem uma biblioteca, não deixe-a associar-se à ela. Ela pode não devolver o seu livro, se este lhe trouxer algum significado. Mesmo que tardio. Helena foi roubado aos 12 anos e lido aos 15.
Ela foi Ana Bolena. Ela foi Capitu. Ela foi Bridget Jones. Ela foi até, acreditem, Maysa. Sem os cigarros e sem o whisky, mas na incessante busca de amor, sucesso, felicidade. Na capacidade, nem sempre firme, de enfrentar as pessoas que dela falam.
Mas, às vezes, batia um vazio. Ela precisava, de fato, viver a sua vida, como todas as outras.
Mas eles achavam que ela falava demais. Que eram coisas banais, sem sentido.
Aguardem.
Ela ainda vai ser alguém. Você vai se inspirar nela. Você vai ler sobre ela e chorar todas as noites na sua cama, se lamentando: "Por que não sou como ela?"

Post especialmente para boleiragens que acham que o cérebro é um músculo.

2 freckledmaníacos.:

tialola;* disse...

mimimimimimimimi *-*

Maah ~ disse...

que lindo o post, dóri *-*
super me identifiquei!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin