quinta-feira, 19 de março de 2009

Paráfrase

Esse meu texto é de 2007, mas o amor, afinal, é sempre contemporâneo.

Dizia Pe. Antônio Vieira - e outros sábios - que o amor é sempre pintado como um menino, o cupido, pois nunca chega à idade da razão. Certíssimo ele; O amor não combina com razão. O amor não combina com nada, e ao mesmo tempo, combina com tudo e te domina de uma forma que você não consegue mais controlar.

E as tentativas de chamar a atenção da pessoa amada parecem inúteis. Ou será que você é uma pessoa do tipo tímida que tenta disfarçar ao máximo quando ama, chegando até a causar a maior das surpresas na hora da revelação? O amor tem várias faces. Várias atitudes. Ele nunca sabe o que faz. E você percebe que você ama alguém quando todos te dão abraços apertados, mas somente um te faz sentir algo mais especial. Quando você se torna um aficcionado por uma mão, um cabelo, um par de olhos, um sorriso, um toque. Quando você não quer fazer mais nada a não ser olhar somente para uma pessoa. Aquela que lhe parece perfeita. Aquela que te faz viajar. Aquela da qual você guarda cada palavra que ouve. Aquela que te mataria com um beijo;

Então você deseja morrer, mais do que tudo.

E você pega o amor como uma obsessão. E todas as músicas que tocam no rádio parecem falar por você. E você gosta de ouvir aquela voz, mesmo que ela esteja te dizendo as coisas mais estapafúrdias do mundo. E olha nos olhos. Um olhar nos olhos correspondido, que faz o seu coração bater mais rápido. Se as mãos da pessoa também estão suadas, será que o coração dela também ganhou outra batida? Será que você tem um amor correspondido ou será que ele vai se tornar a maior das desilusões quando você resolver que é hora de soltar o temido 'eu te amo'?

E você está sentado na cadeira, em frente a um computador, vendo coisas sem importância na internet. Seu pensamento está meio longe, está no telefone, do qual você espera desesperadamente um toque. Um toque que, quando atendido, revelará o som mais agradável aos ouvidos humanos.

E tem mais: O ciúme. Sem ele, não existe amor e vice-versa. Você se preocupa com cada respiração que a pessoa amada dá, já citava o The Police. Você sente uma angústia esquisita quando a vê com outra pessoa, nem que seja só uma conversa amigável. Mas a vontade de extinguir para sempre a sua raça vem quando você a vê se perdendo em outros abraços, outras pegadas de mão, e até outros beijos. E você quer explodir, gritar, soltar tudo para fora. Mas não pode, o seu amor é secreto. E amar em segredo e ter asas e não poder voar.

Então... Quando chegará o seu final feliz? O amor te faz acreditar que você sempre vai estar querendo voltar para ele?Procure uma inspiração, e não só mais uma perda de tempo.

I call your name, but you’re not there.



3 freckledmaníacos.:

cathee disse...

adorei ♥

Raah disse...

adorei o texto, adoro coisas que me façam refletir *-*

Anônimo disse...

Nem preciso dizer que eu adorei né, seus textos são sempre tão bons *-*

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin